PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Jornada de Seminários de Abertura de Empresas encerra 2022, após passar por todas as macrorregiões do Ceará

14 de novembro de 2022 - 14:59 # # # # #

Ascom Jucec - Texto e foto

A jornada de Seminários de Abertura de Empresas, promovida pela Junta Comercial do Estado do Ceará, foi encerrada, na última terça-feira (8), no município de Itapipoca. Iniciada em agosto, o evento percorreu todas as macrorregiões do Ceará e reuniu quase 500 participantes, abordando políticas e iniciativas de simplificação e desburocratização de empresas de baixo risco.

O Seminário foi apresentado pelo vice-presidente da Junta Comercial do Estado do Ceará, Caio Rodrigues, e o Consultor de Negócios no Projeto Empreendedor Digital, Eduardo Jereissati. O público alvo englobou prefeitos, secretários e até analistas municipais de pastas relacionadas ao licenciamento de empresas.

Após o início em Fortaleza e Região Metropolitana, o evento passou pelas regiões de Ibiapaba, Crateús, Inhamuns e Sobral, região do Cariri e Centro Sul, regiões do Vale do Jaguaribe e Litoral Leste, regiões de Canindé, Sertão Central e Maciço de Baturité, e por fim pelas regiões do Litoral Oeste e Vale do Curu.

“Foi um encontro muito produtivo em que dialogamos e apresentamos o projeto Empresa Mais Simples, disponibilizamos todas as ferramentas para a implantação da integração com os municípios”, explica Caio, que afirma a participação de representantes de mais de 10 municípios. Foram apresentados os benefícios e ganhos que o projeto oferece.

Segundo Caio, a integração mais recente foi do município de São Gonçalo do Amarante, enquanto a de Eusébio e Juazeiro do Norte está em desenvolvimento. “A intenção é que até o final do ano tenhamos entre vinte e trinta municípios agregados ao Empresa Mais Simples”, explica o vice-presidente.

Ele também acrescenta a importância do acompanhamento da sociedade e dos empreendedores que exijam que o poder público de seus municípios procure a Jucec com o intuito de fazer a integração com o Projeto. “Acho que a melhor maneira de fazer isso é através das Ouvidorias e das redes sociais, fazendo essa cobrança de uma melhoria no ambiente de negócios”, conclui Caio.