PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Forças de Segurança do Ceará apreenderam mais de cinco mil armas entre janeiro e outubro de 2022

24 de novembro de 2022 - 11:09 # # # # #

Ascom SSPDS - Texto

Somente em Fortaleza, foram 1.456 armas recolhidas, o que representa o aumento de 7,1% em comparação com o mesmo período em 2021

Com ações estratégicas e integradas, as Polícias Militar e Civil do Ceará apreenderam 5.379 armas de fogo entre janeiro e outubro deste ano, em todo o Ceará. Os dados foram extraídos nesta quinta-feira (24) pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp-SSPDS), e mostram um aumento de 6,8% no total de apreensões, quando se compara com o mesmo período, em 2021. Na ocasião foram apreendidas 5.036 armas.

Entre as ações no período, o Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (Bepi) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), apreendeu, até o fim do primeiro semestre, 182 armas de fogo e 2.978 munições durantes as operações e ações ostensivas e preventivas em combate aos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) e Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVPs), em regiões atendidas pelo Batalhão.

Em outra ação, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) apreendeu sete armas e capturou cinco suspeitos, em um terreno situado no bairro Padre Júlia Maria, em Caucaia (AIS 11).

Para o secretário executivo da Segurança Pública e Defesa Social, Samuel Elânio, o trabalho das Polícias deve impactar diretamente na redução dos indicadores criminais. “Diante do crescente número de apreensões, os trabalhos são intensificados e as Forças de Segurança continuarão atuando incansavelmente para que pessoas indevidas deixem de portar armas de fogo, ocasionando, porventura, na redução de Crimes Violentos Letais e Intencionais e Crimes Violentos contra o Patrimônio”, destacou.

Fortaleza

Das armas recolhidas pelas Forças de Segurança no Ceará, 1.456 foram em Fortaleza. Considerando o mesmo período no ano passado, quando foram confiscadas 1.360 armas, houve um aumento de 7,1% nas apreensões realizadas na Capital.

Entre as apreensões, destaca-se uma ofensiva realizada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), da Polícia Civil, que resultou na desarticulação de um grupo responsável diretamente pelo armazenamento, manutenção e preparação de armamentos utilizados por suspeitos de crimes, que atuam na Grande Messejana (AIS 3), em Fortaleza. Foram apreendidas 11 armas de fogo, munições, centenas de projéteis e diversos utensílios para manutenção e fabricação de armas de fogo.