Controle social: Escola Profissionalizante Joaquim Albano recebe palestra Caminhos da Cidadania

28 de setembro de 2017 # # # #

Assessoria de Comunicação da CGE - 85 3101.3474
Flávia Salcedo - Coordenadora de Comunicação / flavia.salcedo@cge.ce.gov.br
Géssica Saraiva - Assessora de Comunicação / gessica.saraiva@cge.ce.gov.br
Camila Lins - Assistente de Publicidade / camila.lins@cge.ce.gov.br

Ao todo, cerca de 90 alunos discutiram sobre a importância do controle social para o exercício da cidadania

Ao todo, cerca de 90 alunos discutiram sobre a importância do controle social para o exercício da cidadania

Nesta quinta-feira (28), foi a vez dos alunos do primeiro ano da Escola Estadual de Educação Profissional Joaquim Antônio Albano, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, receberem a palestra “Caminhos da Cidadania”. Sob o comando das multiplicadoras do projeto e servidoras da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE), Michelli Gaspar e Ivanilza Fernandes, as turmas discutiram a importância do controle social para o exercício da cidadania plena.

“O projeto consiste na possibilidade de construir relações sociais mais sólidas e conscientes do papel de cada um na sociedade. É gratificante levar um pouco do nosso conhecimento para os alunos, é importante que se tenha essa consciência de exercer a cidadania através do controle social, não podemos mais ficar esperando de braços cruzados, temos que ser participativos. Gostaria de agradecer à diretora Miriam e aos demais professores, pelo apoio, incentivo e pela acolhida”, frisou Michelli Hitzschky.

A palestra é parte do Projeto Educação Social, desenvolvido pela CGE em parceria com a Secretaria de Educação (Seduc), e que tem como objetivo fomentar o fortalecimento da cidadania, por meio da conscientização da população sobre seus direitos e deveres como cidadãos.

Para a aluna Vitória Ribeiro, 15 anos, a palestra foi uma oportunidade de conhecer mais sobre os canais de controle social. “Eu já tinha escutado falar em Ouvidoria e já tinha visto o símbolo do 155, mas não sabia que o Estado tinha um número específico só para atender o cidadão. É muito bom saber que temos muitos canais para falar com o Estado, mas nós precisamos usar mais eles. Às vezes, a gente chega num hospital e é mal atendido, mas ao invés de reclamar, a gente vai embora e não faz nada. Isso precisa mudar”, ressaltou.

“Também acho legal usar esses canais de Ouvidoria para elogiar o que temos. A gente só vê as pessoas falando de corrupção, de coisas ruins, mas nós precisamos falar das coisas boas também. Nós temos escolas, universidades e hospitais, tudo de graça. Em qualquer outro canto do mundo, nós teríamos que pagar por isso. Às vezes me pergunto se ninguém vê isso”, pontuou.

Ao todo, cerca de 90 alunos discutiram sobre a importância do controle social para o exercício da cidadania

E mais

Antes de ministrar a palestra “Caminhos da Cidadania” para os alunos da EEEP Joaquim Antônio Albano, a ouvidora setorial da CGE, Ivanilza Fernandes, e a assessora técnica, Michelli Gaspar, realizaram um bate-papo com os professores da instituição, para apresentar o Projeto Educação Social e discutir o papel dos educadores como multiplicadores da cidadania.

Para a diretora da escola, Mirian Bezerra, a iniciativa de levar as discussões a cerca do controle social para as escolas públicas é algo que deve ser perpetuado, pois é preciso trabalhar a consciência cidadã com os alunos. “Aqui na escola nós trabalhamos bastante com os alunos sobre a importância da transparência com recursos públicos, de apresentar os trabalhos feitos e os recursos que são recebidos. Essa é uma das formas de prestar contas para eles”.

“É importante, que cada vez mais, nós incentivemos nossos jovens a exercerem sua cidadania, reconhecendo não só os seus direitos, mas também os deveres que nos são dados como cidadãos”, destacou.