PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Projeto desenvolvido em batalhão da PM ajuda com autoestima, hábitos saudáveis e novas amizades

23 de setembro de 2019 - 11:31 # # # # #

Fhilipe Augusto Texto
Thiara Montefusco Fotos

Esta é mais uma matéria especial produzida pelo Governo do Ceará com foco em um Ceará Inovador, Competitivo e Sustentável. Hoje, apresentamos o projeto desenvolvido por um policial junto à comunidade dentro do 17° Batalhão da PM do Ceará, em Fortaleza. Com aulas de aeroboxe, dezenas de pessoas estão participando desse momento de interação.

Abrir as portas de um quartel da Polícia Militar para interagir com a comunidade, fazer novas amizades e ainda ajudar a cuidar da saúde – do corpo e da mente – era algo um pouco incomum. Contudo, essa prática vem sendo ampliada no Ceará e um dos casos com  bons resultado é o do projeto desenvolvido no 17° Batalhão da PM do Ceará, situado no Conjunto Ceará, em Fortaleza. Tendo à frente o cabo Dário Gama, as aulas de aeroboxe ministradas por ele leva dezenas de pessoas todas as noites das terças e quintas-feiras ao batalhão. São populares da localidade e até de bairros vizinhos que comparecem com o intuito de praticar uma atividade física e, acima de tudo, sentirem-se bem com a convivência e troca de experiências.

“É muito bom compartilhar com as pessoas momentos de alegria, ainda mais através de um projeto social dentro da corporação e de uma modalidade não tão acessível. Tenho certeza que muitas das pessoas que frequentam o projeto nunca imaginaram pisar naquele pátio, muito menos ter acesso às dependências do quartel. Isso contribui para desmistificar preconceitos que ainda existem em relação a nós policiais, é bom ver a comunidade ‘invadir’ o quartel”, confidenciou o cabo Gama.

O perfil do público que participa é bem plural, mas com uma busca por um resultado homogêneo: bem-estar. Frequentadoras do projeto, Eliane Melo (59), comunicadora; Luana dos Santos (24), desempregada; e Valéria de Sá Nunes (37), auxiliar de escritório, são exemplos disso. Todas ficaram sabendo do aeroboxe por meio de conhecidos e resolveram participar por situações diversas, mas com a finalidade de levar mais leveza e alegria ao cotidiano.

A jovem Luana informou que depois que começou a praticar o aeroboxe passou a adotar novos costumes no dia a dia que a tornaram uma pessoa mais disposta e saudável. “A partir do projeto mudei minha rotina alimentar e comecei hábitos mais saudáveis, conseguindo ter mais disposição para a vida. (O projeto) aumenta minha autoestima”, confessa a aluna, que mora no bairro Araturi, na vizinha cidade de Caucaia, e percorre quase quatro quilômetros a pé para participar das aulas.

Com a finalidade de interagir com os demais participantes, a comunicadora Eliane Melo comemora a nova opção de lazer que a população da região ganhou com a iniciativa do 17º Batalhão da PM. “Participo há quase três meses e posso dizer que passei a fazer amizade com muitas pessoas. É muito bom sair de casa e ter aquele momento para cuidar do corpo fazendo novas amizades. É um ambiente muito bom e me sinto muito bem”, disse Eliane, que faz questão de propagar o projeto nos programas de rádio que participa para que o maior número de pessoas possa ficar sabendo e se beneficiando da iniciativa.

Corpo sã, mente sã

Nesses sete meses de projeto, o cabo Dário Gama relatou ter tido um retorno muito positivo do público participante que vai além da questão física. Uma dessas pessoas é a auxiliar de escritório Valéria de Sá Nunes, afastada a mais de um ano do trabalho para se tratar de depressão, síndrome do pânico e crise ansiedade. Levada pela cunhada ao aeroboxe há cerca de três meses, ela conta como a iniciativa tem feito bem à sua mente.

“Passava o dia todo dormindo, isolada das pessoas. Depois da insistência da minha cunhada em ir para o aeroboxe, comecei a me sentir mais leve com o auxílio do professor Dário Gama, que me ajuda não só no projeto, mas no Whatsapp, me dando força para participar. O projeto é uma iniciativa muito positiva, pois tem ajudado não só na minha questão, mas em histórias lindas de pessoas que conseguiram emagrecer, voltar a fazer atividades físicas e sem custo algum. O Dário nos faz se sentir bem com os exercícios, nos incentiva e elogia. Sinto-me bem na presença de todos lá”, revelou Valéria.

O policial militar falou da gratidão que é poder proporcionar dias melhores para essas pessoas através do seu projeto social. “Não é um trabalho fácil gerenciar isso, mas é gratificante ajudar as pessoas. Este mês, devido à grande mobilização da campanha do ‘Setembro Amarelo’, muitas alunas relataram estar lutando contra a depressão, inclusive fizemos duas aulas onde as alunas compareceram trajadas com a cor da campanha. É triste ver que tantas pessoas estão enfrentando monstros silenciosos, mas fico feliz ao ouvir delas que o aeroboxe está contribuindo nesta batalha”, testemunhou o cabo Gama, que há nove anos compõe os quadros da Polícia Militar do Ceará e há dois se dedica a projetos sociais.

O projeto

O aeroboxe desenvolvido no pátio externo do 17º Batalhão da Polícia Militar teve início com aulões esporádicos, mas devido ao sucesso, a ideia foi ganhando novos participantes e dias e horário fixos (terças e quintas-feiras, às 19h30). As aulas são realizadas basicamente com uma caixa de som, o professor e uma turma cheia de disposição. A modalidade é uma junção de música, luta e ginástica.

Para participar do projeto as pessoas precisam apenas comparecer ao quartel nos dias e horários das aulas. As inscrições são feitas com o próprio PM no início ou fim das aulas.“Atendemos desde crianças até idosos, afinal o objetivo da atividade não é rendimento e sim lazer e integração entre Polícia e comunidade. Policiamento comunitário é exatamente isso: aproximar profissionais de segurança pública e comunidade, desenvolvendo uma relação mútua de respeito e confiança”, explicou o cabo Gama.

Leia Mais:

Projeto da PMCE traz cinema à comunidade na Capital