PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Artesãs de Morrinhos comercializam produtos de palha pela internet

7 de maio de 2020 - 10:16 # # # # #

Ascom SDA

Quem compra um dos 90 produtos da Associação Comunitária das Mulheres de Curralinho pela internet não apenas adquire itens regionais de design minimalista, como também fortalece a economia solidária e valoriza o trabalho das artesãs de Morrinhos. São almofadas, bolsas, caminhos de mesa, chapéis e mini-chapéis, itens de escritório, jogos americanos, luminárias, quadros bordados e vasos. Tudo feito com a palha de carnaúba e ofertado com preços acessíveis, entre R$ 3,60 e R$ 80,00.

As artesãs receberam um investimento de R$ 250.053,79 do Projeto São José. A iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Agrário garantiu, além de acompanhamento técnico, a Construção da Central de Artesanatos e a aquisição de equipamentos. “O São José foi muito importante porque sofríamos com a falta de espaço para produzir e estocar. Com a Central do Artesanato, a autonomia das nossas artesãs ficou mil vezes melhor e, hoje, contamos até com uma brinquedoteca para os filhos das nossas Artesãs”, reconhece Paulene Rocha, sócia e representante comercial da Associação Comunitária das Mulheres de Curralinho.

As 23 mulheres beneficiadas pelo projeto abastecem duas vezes ao ano os boxes da Central de Artesanato do Ceará (Ceart), na Praça Luiza Távora e no Dragão do Mar, e também fabricam bolsas para congressos e feiras estaduais e regionais. Hoje, com atividades não-essenciais proibidas pelo decreto estadual, as artesãs trabalham em casa e venda só ser for pelo site, pelas redes sociais ou Whatsapp (88) 9.9970-8430. As festas juninas são a maior fonte de faturamento e não devem ocorrer nesse ano.

“Contamos com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rural Agricultores e Agricultoras Familiares de Morrinhos para entregar em Sobral ou Fortaleza, e aí negociamos uma taxa de entrega”, esclarece Paulene. “Enviamos também os nossos produtos para fora do Estado, pelos Correios e também por companhias aéreas”. “Elas fazem produtos artesanais com muita dedicação, esforço e união. Nos sentimos honrados em ter um pouquinho da @verdecomafeto plantado nesse trabalho lindo de vocês”, publicou a empresa de lembrançinhas pelo Instagram.

“O Projeto São José contribui para que a agricultura familiar e atividades afins mantenham-se pujantes no momento em que o Ceará enfrenta essa pandemia”, frisa Lafaete Almeida, coordenador do projeto da Secretaria do Desenvolvimento Agrário. “Um exemplo é a Associação Comunitária das Mulheres de Curralinho, onde potencializamos a produção de artesanato e agora essas mulheres inovam com vendas digitais”, elogia o empreendorismo do grupo de mulheres artesãs.

“É muito importante comprar do agricultor familiar, da artesã e do pequeno comércio perto da sua casa. Fazendo isso, cada cearense contribui para que esses empreendimentos sobrevivam aos efeitos econômicos da Covid-19 e possam continuar gerando ocupação e renda para população mais vulnerável do nosso Estado”, conclui Lafaete estimulando a economia local e solidária.