PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Polícia Civil sequestra bens de luxo avaliados em mais de R$ 2,3 milhões de alvo que figurou no Programa de Recompensa

21 de setembro de 2021 - 16:13 # # # # #

Ascom SSPDS

As investigações sobre a atuação criminosa de Paulo Diego da Silva Araújo, o “Dino”, em uma organização criminosa, não foram encerradas após sua prisão, em 9 de maio de 2021, na cidade de Salto, em São Paulo. O homem que figurava na Lista de Recompensas da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) teve bens de luxo como imóveis e veículos, avaliados em mais de R$ 2,3 milhões, confiscados pela Polícia Civil do Ceará (PC-CE). Detalhes do trabalho investigativo foram divulgados em coletiva de imprensa, na manhã desta terça-feira (21), na Superintendência da Polícia Civil, em Fortaleza.

Trabalho de inteligência coordenado pela Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da PC-CE, a ação resultou no sequestro de três imóveis de luxo localizados em Fortaleza, Aquiraz e Eusébio, que somados, estão avaliados em R$ 1,950 milhão. Além disso, três veículos de luxo e um micro-ônibus foram sequestrados pelas autoridades policiais. Eles estão avaliados em R$ 397 mil. Conforme as investigações, os bens adquiridos por “Dino” são frutos de lavagem de dinheiro e estavam em nome de terceiros.

O pedido para o sequestro de bens foi protocolado pela Polícia Civil do Estado do Ceará no dia 11 de agosto de 2021, sendo deferido pela Justiça no dia 20 do mesmo mês.

Paulo Diego da Silva Araújo já responde por crimes de roubo, roubo de carga, crime contra a fé pública, direção criminosa, furto qualificado, estelionato e por integrar organização criminosa, além de já ter sido condenado por tráfico internacional de drogas. Ele foi encontrado na cidade de Salto, a 120 quilômetros de distância da capital paulista. O homem tentou fugir, mas foi contido por policiais civis da Draco.

“Dino” foi incluído na Lista de Recompensa da SSPDS em março deste ano. Ele é considerado chefe de uma organização criminosa com atuação em Fortaleza (CE), além de ser partícipe em negociações do narcotráfico e de arquitetar ataques a prédios públicos no Ceará. A recompensa por informações que levassem à localização do suspeito era de R$ 7 mil.

Denúncias

Para combater a atuação de grupos criminosos no Estado, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) conta com a participação da população para repassar informações que auxiliem os trabalhos investigativos. Por isso, a unidade especializada da Polícia Civil do Ceará mantém um número de WhatsApp para receber denúncias de ações criminosas em todo o Estado. A população pode enviar mensagens de texto, áudios, fotos e vídeos para o número (85) 98969-0182.

As denúncias também podem ser feitas, por meio de ligação gratuita, para o 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O sigilo e o anonimato são garantidos.