Dia Estadual do Auditor de Controle Interno: 14 anos de regulamentação da atividade

20 de novembro de 2017 # # # #

Flávia Salcedo / Géssica Saraiva - Assessoria de Comunicação da CGE
flavia.salcedo@cge.ce.gov.br / gessica.saraiva@cge.ce.gov.br - (85) 3101.3474

Comemorado no dia 20 de novembro de cada ano, o Dia Estadual do Auditor de Controle Interno é uma forma de homenagear os profissionais que trabalham com o objetivo de fiscalizar e acompanhar os atos da administração pública estadual, sejam eles de caráter orçamentário, financeiro ou patrimonial. Nesta segunda-feira (20), a carreira completa 14 anos de implantação no Estado. Para contar um pouco dessa história, auditores de controle interno, que se juntaram à carreira ao longo desse tempo, falam esta semana como foi abraçar esta missão.

14 anos de Controle Interno

“Quando saí do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e me tornei auditor de controle interno, eu acreditei na efetividade da carreira, no potencial de gerar resultados mais efetivos tanto junto ao Estado quanto junto à sociedade”, destaca Marconi Lemos, há 14 anos como auditor de controle interno da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE) e hojeatuando como secretário adjunto do órgão.

“Há uns 15 anos, não existia essa distinção entre os profissionais que realizam as atividades de fiscalização da administração pública estadual. Só existiam, à época, os profissionais do controle externo. Porém, com a implantação do órgão central de controle interno, surgiu a necessidade de formar um profissional para desempenhar as atividades de controle, privilegiando os aspectos operacionais, os resultados, os riscos, a transparência e a participação social na gestão pública. Profissional este que hoje conhecemos como auditor de controle interno”, ressaltou.

Diferente dos auditores de controle externo, que trabalham com maior ênfase nas ações detectivas e punitivas, embora também desempenhem ações preventivas, os auditores de controle interno tem a sua vocação centrada no caráter preventivo, estabelecendo procedimentos, fluxos processuais, criando e sugerindo a implantação de controles para reduzir riscos e garantir que os objetivos organizacionais sejam alcançados.

“Além de criar os procedimentos, é necessário garantir que os mesmos estejam funcionando adequadamente. O auditor de controle interno tem a função de avaliar se os controles internos existentes estão funcionando corretamente, sejam eles criados pelos gestores ou pelo próprio órgão de controle interno. E isso é muito importante pois, com o monitoramento contínuo dos processos e os controles internos funcionando eficientemente, nos permite identificar problemas previamente e agir para corrigi-los, antes mesmo que eles sejam consumados”, frisou.

E mais

Ao longo da semana novos depoimentos serão postados nas redes sociais da CGE no facebook (facebook/cgeceara) e no twitter (@cgeceara). Acompanhe por lá.