Organograma Estadual

Localização geográfica privilegiada em relação ao resto do mundo, pela proximidade com os grandes mercados
mundiais: Europa, América do Norte e Ásia. Fortaleza é não apenas a capital político-administrativa do Estado, mas
também destacado centro regional de comércio e serviços. A sua região de influência, segundo o IBGE, compreende.

NUTEC

Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará

Download
  1. DIREÇÃO SUPERIOR
    1. PRESIDENTE
  2. ÓRGÃO DE ASSESSORAMENTO
    1. PROCURADORIA JURÍDICA
    2. ASSESSORIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS
    3. ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
    4. ASSESSORIA DA QUALIDADE
  3. ÓRGÃOS DE EXECUÇÃO PROGRAMÁTICA
    1. DIRETORIA DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
    2. GERÊNCIA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA
    3. NÚCLEO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
    4. GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS E QUÍMICA
    5. NÚCLEO DE QUÍMICA
    6. NÚCLEO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
    7. GERÊNCIA DE MATERIAIS
    8. NÚCLEO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL
    9. NÚCLEO DE ROCHAS ORNAMENTAIS
    10. GERÊNCIA DE MECÂNICA, ELÉTRICA, ENERGIA E AUTOMAÇÃO
    11. NÚCLEO DE MECÂNICA E ENERGIA
    12. NÚCLEO DE ELÉTRICA E AUTOMAÇÃO
    13. DIRETORIA DE EMPREENDEDORISMO E NEGÓCIOS
    14. GERÊNCIA DE NEGÓCIOS
    15. NÚCLEO CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE
    16. GERÊNCIA DE EXTENSÃO TECNOLÓGICA
    17. NÚCLEO DE PROJETOS
    18. NÚCLEO DE DIFUSÃO TECNOLÓGICA
  4. ÓRGÃOS DE EXECUÇÃO INSTRUMENTAL
    1. DIRETORIA ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA
    2. GERÊNCIA ADMINISTRATIVA
    3. NÚCLEO DE LOGÍSTICA, SUPRIMENTO E PATRIMÔNIO
    4. NÚCLEO DE CONTABILIDADE E FINANÇAS
    5. GERÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS
    6. GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  5. ÓRGÃOS DE DELIBERAÇÃO SUPERIOR
    1. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
    2. CONSELHO FISCAL

Competências

realizar o controle de qualidade de obras públicas;

promover, coordenar e realizar estudos e pesquisas científicas e tecnológicas;

divulgar e aplicar, no sistema produtivo, no Governo do Estado, bem como em outras instituições públicas federais e municipais, os resultados das pesquisas já conhecidas e as soluções tecnológicas viabilizadas, levando em conta as condições, peculiaridades e nível de desenvolvimento do Estado;

inovar, adequar e transferir tecnologias;

prestar serviços de extensão, assistência, consultoria e aplicação tecnológicas ao sistema produtivo, ao Governo do Estado, bem como a outras instituições públicas federais e municipais;

colaborar na elaboração dos planos de desenvolvimento do Estado, na área de sua competência, quando solicitado;

promover e realizar treinamento, aperfeiçoamento e especialização de técnicos do sistema produtivo, do Governo do Estado, bem como a outras instituições públicas federais e municipais;

agenciar negócios, obras e serviços;

certificar produtos, processos tecnológicos e sistema de gestão da qualidade;
emitir laudos e pareceres com base nas normas técnicas vigentes;

realizar perícias, avaliações e arbitramentos técnicos;

promover a incubação de empresas de base tecnológica e de setores tradicionais;

comercializar tecnologias, produtos oriundos de pesquisas, desenvolvimentos e inovações realizadas ou viabilizadas por parcerias estratégicas;

requerer o registro de patentes;

negociar a cessão e licença de uso de patentes e de outros direitos de propriedade intelectual;

editar, publicar e comercializar trabalhos técnicos;

prestar serviços de inspeção veicular;

exercer outras atividades compatíveis com os seus objetivos, mediante a execução de ações condizentes:

a) com as políticas estaduais de desenvolvimento, obedecidas às diretrizes e prioridades de aplicação de recursos, atos, resoluções, programas e projetos;

b) com as políticas, plano estratégico e resoluções editadas pela Presidência da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec).

Dec. nº 29.206 – DOE 29/02/2008